quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

É HORA DE SE TIRAR AS MÁSCARAS


Chegamos ao final de mais uma edição do carnaval brasileiro, em várias cidades brasileiras as coisas começam a voltar ao normal, digo isso, pois nesse período carnavalesco algumas instituições funcionam precariamente, outras nem funcionam, pessoas e famílias saem de suas rotinas para seguirem em viagens, e existem aqueles que literalmente entram de cabeça nos blocos e escolas de samba, tentando assim esquecer suas realidades e escondem-se atrás de uma máscara de “pierrot”, ou vestem uma fantasia, acreditando que nesses poucos dias a felicidade foi encontrada.


Há uma mobilização nacional e internacional pelo carnaval que acontece aqui no Brasil, pessoas de várias nações chegam para “curtir a festa”.


Aqui no Rio de Janeiro em particular, tudo se transforma, as ruas são fechadas, o trânsito é invertido pelos blocos, festas, desfiles, bailes, são dias em que os problemas e as crises humanas são esquecidos, mas quando o carnaval acaba, é hora de se tirar as máscaras, e voltar a uma realidade que nem sempre é realmente de festa e alegria.


Alguns tiraram as máscaras durante o carnaval, há aqueles que foram assaltados ou perderam seus entes queridos em um acidente de trânsito ou assassinados, com certeza não conseguiram mais comemorar, mas existem aqueles que observaram que o carnaval não lhes trouxe nenhum benefício, e talvez tenha lhes resultado muitos prejuízos.


Pais descobriram que seus filhos conheceram as drogas no período do carnaval, esposas descobriram que foram traídas exatamente durante o carnaval, famílias estarão sendo desfeitas depois das noites carnavalescas.


Alguns ao fazerem um exame rotineiro, descobriram que foram infectados por alguma doença sexual contraída no período da festa de carnaval.


Nesses terríveis momentos as máscaras caem, e se percebe que a festa de nada valeu.


Confesso que para mim o carnaval não tem nenhuma significância,minha abençoada rotina não mudou,estive com minha família descansando e fui a minha igreja (Assembléia de Deus Ministério Plena Unção - RJ) adorar e glorificar ao meu Senhor em cultos tremendos.


Mas vi nos rostos de alguns foliões uma tentativa da busca pela felicidade nesse período de brilho e festa, e o que é triste é que a maioria, (para não dizer todos) não encontrou a felicidade, ao final da festa estarão mais tristes, mas deprimidos.


Ainda que sua escola de samba tenha sido a campeã da Sapucaí, ainda assim seus dilemas e turbulências diárias não serão esquecidas ou vencidas, falta algo. Falta Jesus.


Sim, Jesus Cristo, o único que pode trazer a verdadeira paz e felicidade que a humanidade busca de forma tão descabida e desorientada.


As festas como carnaval, são na verdade uma tentativa de preencher os vazios existentes na humanidade.


Você pode questionar: Então o que é divertimento?Talvez não tenha essa resposta, pois meu gosto pode não ser o seu, mas tenho a certeza que drogas, prostituição e promiscuidade, não têm nada a ver com divertimento.


Não quero julgar quem desfilou, pulou carnaval, brincou na folia carnavalesca, mas quero apresentar-te, algo melhor e maior que depois que as máscaras forem retiradas, tenho certeza que você ou alguém que você conhece vai precisar.


Lembro-me das muitas vezes que me empolguei com o carnaval, saía nas escolas e blocos, estive em muitos bailes, os três dias de festa para mim eram poucos sempre faltava, eu queria mais e mais foi onde descobri que a questão não era a quantidade de dias para “pular” e sim que o vazio existencial em minha vida nunca seria preenchido com alguns momentos de folia carnavalesca, por isso eu entendo um pouco o que vem a ser isso.


A festa chega ao fim, mas a vida real é maior e precisa sim de ajuda, tens a oportunidade de conhecer a Jesus Cristo o libertador e salvador de nossas vidas.


Busque essa felicidade chamada Jesus e descobrirás que a vida é muito maior que alguns dias de festa carnavalesca.

Ele mesmo afirmou: "Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" João 10:10


Deus a Todos abençoe


Simplesmente Anderson Bravo

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

O ESPREMEDOR DE LARANJA


Gosto muito de suco de laranja e limonada, mas por incrível que pareça em nossa casa não tínhamos um espremedor de laranja, isso dificultava os sucos diários.

Há três semanas atrás comprei um espremedor, bonito metálico, potente, mas o mais importante: Agora tenho suco de laranja e limonada à hora que eu quiser. Agora mesmo acabei de fazer uma limonada hiper-gelada.

Existem coisas que fazem parte do nosso cotidiano e não observamos sua importância em nossas vidas, usamos naturalmente sem agradecer a Deus pelo que possuímos.

Há outras coisas que não temos e não observamos que nossa vida possui uma lacuna por não termos tal coisa.

Somos bons em reclamar pelo que não temos, mas raramente agradecemos pelo que temos.
Da mesma forma são as pessoas que nos rodeiam, há pessoas extremamente importantes em nossa trajetória de vida que raramente reconhecemos o seu valor.

Qual foi a última vez que você disse para sua mãe; Obrigado por me deixar vir ao mundo?

Quando foi que você agradeceu ao seu marido pelos filhos que ele fez você conceber?

Qual foi a última vez que você agradeceu a sua esposa pelos filhos que ela concebeu?

É raro isso acontecer, não é? Pois é assim com o espremedor de laranja, que é esquecido em nossos armários, enquanto há pessoas que gostariam de ter um espremedor e não tem.
Muitas vezes esquecemos as emoções e o carinho a ser oferecido aquém nos faz tanto bem. Não retribuímos a importância de pessoas em nossas vidas.

Eu agradeço a Deus pelo espremedor de laranja, mas louvo muito mais pela bela família que o Eterno me concedeu, os amigos que tenho.

O espremedor com certeza será muito útil para mim que gosto muito de suco de laranja e limonadas, mas aquelas pessoas importantes no meu crescimento e na minha caminhada na vida, eu não posso esquecer de maneira nenhuma.

Deus a todos abençoe

Simplesmente Anderson Bravo

2014 "o Que Deus tem ninguém tem; e o que Deus tem vem para minha mão"

2014 "o Que Deus tem ninguém tem; e o que Deus tem vem para minha mão"

Anderson & Lyon

Anderson & Lyon