quinta-feira, 2 de abril de 2009

PROCURA-SE UM LUTERO



Há algumas semanas atrás, falei aqui sobre o Arauto.


Alguém que o Eterno conta para anunciar e proclamar as boas novas do verdadeiro evangelho.
Essa semana aqui na Alemanha tive uma forte experiência, ao ir a Wittemberg conhecer a igreja onde o ilustre pregador e protestantista Martinho Lutero fixou A Disputação do Doutor Martinho Lutero sobre o Poder e Eficácia das indulgências, conhecida como as 95 Teses nas portas dessa igreja.Trazendo ao povo a liberdade do conhecimento,livrando-o das penitências e abusos da religião. (Assista aos vídeos
http://www.youtube.com/watch?v=1-XPAHsKig8


http://www.youtube.com/watch?v=LwkWwtINLNU&feature=related )


Esse monge agostiniano, doutor em teologia e pregador, desejando ardentemente compreender as palavras de Paulo, começou o estudo da Epístola aos Romanos. Porém, logo no primeiro capítulo consta que a justiça de Deus se revela no Evangelho (VS. 16 e 17).



Lutero afirmou:


Eu detestava as palavras “a justiça de Deus”, porque conforme fui ensinado, eu a considerava como um atributo do Deus santo que o leva a castigar os pecadores. Apesar de viver irrepreensivelmente, como monge, a consciência perturbada me mostrava que era pecador perante Deus. Assim odiava a um Deus justo, que castiga os pecadores... Senti-me ferido de consciência, revoltado intimamente, contudo voltava sempre ao mesmo versículo, porque queria saber o que Paulo ensinava. Contudo, depois de meditar sobre esse ponto durante muitos dias e noites, Deus, na sua graça, me mostrou a palavra “o justo viverá da fé”. Vi então que a justiça de Deus, nessa passagem, é a justiça que o homem piedoso recebe de Deus pela fé, como dádiva. Então me achei recém nascido e no Paraíso. Todas as Escrituras tinham para mim outro aspecto; perscrutava-as para ver tudo quanto ensinam sobre a justiça de Deus. Antes, estas palavras eram-me detestáveis; agora as recebo com o mais intenso amor. A passagem me servia como a porta do Paraíso.



Então em outubro de 1517, Lutero afixou à porta da Igreja do Castelo de Wittemberg suas 95 teses.

Vejamos algumas teses,para termos noção de sua força

“1. Quando o nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo disse: ‘Arrependei-vos!’ ele quis que toda a vida dos crentes fosse um só arrependimento.
27. Pregam futilidades humanas quantos afirmam que, tão logo a moeda tinir na caixa, a alma se eleva do purgatório.
32. Serão eternamente condenados juntamente com seus mestres, aqueles que julgam obter certeza da salvação mediante cartas de indulgência.
36. Todo e qualquer cristão verdadeiramente compungido tem pelno perdão da pena e da culpa, o qual lhe pertence mesmo sem carta de indulgência.
50. Deve-se ensinar os cristãos que, se o Papa tivesse conhecimento das extorsões dos pregadores de indulgência, preferiria ver a catedral de São Pedro ser reduzida a cinzas a ser edificada com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.
62. O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo Evangelho da glória e da graça de Deus.
94. Admoestem-se os cristãos a que se empenhem em seguir seu cabeça, Cristo, através de padecimento, morte e do inferno.
95. E assim esperem mais entrar no reino dos céus através de muitas tribulações do que facilitados mediante consolações infundadas.

Um ano depois de afixar as teses, Lutero era o homem mais popular em toda a Alemanha. E quando a bula de excomunhão, enviada pelo Papa, chegou a Wittemberg, Lutero respondeu com um tratado dirigido ao Papa Leão X, exortando-o, no nome do Senhor, a que se arrependesse. A bula do Papa foi queimada fora do muro da cidade de Wittemberg, perante grande ajuntamento do povo.



O que aprendemos então?



Há uma busca nos céus por um homem assim, alguém disposto a enfrentar sistemas, dogmas e principalmente esse “evangelho barateado”.



Alguém que seu ministério não tenha preço, e que não se corrompa com o passar dos anos.



Alguém que permaneça na simplicidade da ternura de pregar a palavra por gosto e vocação, não por dinheiro. Em fim procura-se um Lutero



Alguém certa vez afirmou: Precisamos de uma nova reforma!


Bem, eu acredito que precisamos de um tipo Martinho Lutero do século XXI, pois muito mais que palavras precisamos de vida.


O tempo que estou aqui na Europa tenho ouvido coisas triste de colegas pastores, homens que chegam para pregar o evangelho e se perdem no meio do caminho, envolvendo-se em todo tipo de situação desagradável.E uma geração de cristãos sem identidade,aqui é normal sair do culto e ir para uma boate beber fumar,e até se prostituir.Mas todos querem uma boa revelação ou profecia.


O apóstolo Paulo já decepcionado afirmou ao seu filho Timóteo que nos últimos tempos existiriam obreiros “amantes de si mesmo” (II Tm.3.2)Ser um amante é ter um envolvimento,Lutero tinha um grande caso de amor com a verdade do Evangelho.É disso que precisamos.


Doutores, já temos, teólogos já temos, apóstolos e reverendos, já temos, mas homens(e mulheres é claro) determinados a carregar sobre si as marcas em prol da verdadeira propagação do evangelho como Lutero e muitos outros fizeram...acho que está em falta.


Peço ao meu Senhor misericórdia todos os dias,clamo por ver minha geração experimentar realmente um grande avivamento.

Sei de minha responsabilidade como pregoeiro do evangelho de Cristo, por isso lembro-me sempre de uma expressão que meu pastor Marcos Fernandes diz:



Nunca perca a ternura e a sensibilidade do evangelho.


A história esta recheada de homens que antes mesmo de Lutero buscavam mudanças como John Hus, que em 1400, foi ordenado sacerdote e, desde o início de seu ministério, quando assumiu o púlpito da Capela de Belém, em Praga, tornou-se um estorvo, um incômodo para alguns de seus colegas.


Pregava insistentemente contra os privilégios do clero, e defendia a necessidade urgente de uma reforma religiosa. A eloqüência de suas pregações fez com que, rapidamente, boa parte da população o seguisse. John traduziu o Novo Testamento para a língua boêmia. Resumindo ele fez algo.

Poderia ficar aqui discorrendo as biografias de desbravadores cristãos que revolucionaram suas épocas e gerações.



Mas na verdade meu objetivo é trazer você (sim você) para um compromisso e uma missão já delineada pelo Criador, Ele já deu a ordem, só precisamos obedecer.



Em 1517 o Eterno encontrou Martinho Lutero para fixar as 95 teses na parede da igreja Wittemberg, nos séculos que se seguiram homens como George Whitefield, Hudson Taylor, Jonathan Edward, e muitos outros (as) mudaram as rotinas religiosas de sua época para obedecerem ao chamado do Criador.



Em 2009? , E nos próximos anos? Quem será o novo Martinho Lutero, ou uma nova Elisabeth Mills, uma missionária americana que veio para o Brasil para fazer uma missão evangelística em áreas pobres.



Será que assim como em Itaperuna o Eterno encontrou aquele Arauto,você pode clamar em alta voz:



Eis-me aqui Senhor!Envia-me a mim!



Pense nisso



Ainda estou na Alemanha por isso:



Gott Segne Alle (Deus abençoe todos e, Alemão)



Simplesmente Anderson Bravo

Nenhum comentário:

2014 "o Que Deus tem ninguém tem; e o que Deus tem vem para minha mão"

2014 "o Que Deus tem ninguém tem; e o que Deus tem vem para minha mão"

Anderson & Lyon

Anderson & Lyon